Posts com a Tag ‘música’

Entrevista – Giuliano Obici

quarta-feira, agosto 4th, 2010

Giuliano Obici e Alexandre Fenerich

Confira a nossa entrevista da semana, com Giuliano Obici.

Ele é artista experimental com ênfase em arte sonora, mestre em comunicação e semiótica pela PUC-SP com o livro “Condição da Escuta: mídias e territórios sonoros” ed. 7Letras e doutorando da ECA-USP. Além de professor da Escola de Artes na UAM, ministra cursos livres em arte digital abordando temas como interação em tempo real de áudio e video e instalações utilizando software e hardware livre. Forma o duo N-1 com o músico Alexandre Fenerich.

Nas apresentações do duo N-1, objetos como brinquedos de plásticos e vitrolas são incorporados, criando uma performance sonora visual. Você pode falar sobre a relação entre música e imagem no projeto?

O N-1 surgiu de uma busca pela experimentação do som. O uso de imagem veio depois por uma necessidade bem pontual em relação à performance musical. Imagine um palco com um monte de bugigangas que emitem som: rádio de pilha, bonecos de corda, caixinha de música, vitrolinhas; e duas pessoas tentando fazer música ao vivo com esses objetos, misturando-os com outros protótipos de instrumentos musicais – tecladinhos de brinquedo com circuit bending, sintetizadores caseiros, violão-relê e instrumentos digitais que processam os sons via computador. Colocamos tudo isso no palco e tocamos, gerando grande tensão para quem assiste-escuta, assim como para nós que tocamos. Diferente da performance tradicional musical onde se tem claro de onde vem o som no palco e como ele é produzido pelos músicos, na performance do N-1 os gestos mínimos não oferecem ao ouvinte essa relação direta. Tentando dar conta dessa desconexão visual, historicamente relacionado com o gesto do instrumentista, restituimos o pacto visual da performance musical com a utilização de um sistema de 4 câmeras de vigilância. Assim, nossos gestos são ampliados num telão, da mesma forma como amplificamos os sons. A partir daí iniciamos uma pesquisa de imagem dentro de uma perspectiva da experimentação sonora que conduz nosso trabalho. Narrativas diversas e absurdas se desenvolvem na dança dos próprios objetos em cena. Depois, vieram as imagens puramente sintéticas ao modo da performance da peça Marulho-Oceânico que apresentamos no festival Live Cinema 2009. Provavelmente a nossa próxima performance terá remix de filmes com a temática musical.

Entre os trabalhos inscritos no Festival Conexões Tecnológicas 2010, você destacaria algum? Por que?

A instalação Marvin Gainsburg, de Jeraman e Filipe Calegario é um exemplo interessante das questões múltiplas que envolvem a criação nos meios digitais. Transitando entre diferentes linguagens, envolve aspectos técnicos que lidam com associação e fluxo de textos postados no Twitter, criando uma experiência musical que pode ser associada à figura do repentista na tradição da música popular. Na instalação, palavra, som e imagem; poesia, música e video; indexação, algoritmo de reconhecimento de voz e inteligência artificial são associados. Tudo a partir de um dispositivo interativo, palavras projetadas, microfone, câmera e a web. Uma outra dimensão importante do trabalho é a participação das pessoas pela Internet, através de um sistema de busca com banco de dados alimentado pelo Twitter. Esse trabalho coletivo interfere diretamente no resultado da obra. Sobre o ponto de vista técnico é um trabalho sofisticado que implica um esforço grandioso e difícil de ser desenvolvido sozinho. Complexo pela utilização e articulação entre diferentes softwares e linguagens de programação. É significativo que ele tenha sido desenvolvido sob uma plataforma de distribuição livre, onde o trabalho acontece através de uma dinâmica coletiva pautada na colaboração e distribuição de conhecimentos na qual toda sua estrutura se fundamenta sobre a lógica do software livre e da internet como parte de uma obra múltipla. Para finalizar, ficam as perguntas: Existirá uma versão para português? Ou ainda, faremos nos próximos anos performance musical alá Marvin assim como as disputas entre repentistas? Conjecturas a parte, Gainsburg é um projeto instigante que tem virtudes quando pensamos nos possíveis cruzamentos que a tecnologia produz e nas fronteiras que ela possibilita experimentar, ainda mais quando estabelece este tipo de diálogo com nossa cultura musical. De alguma forma, Jeraman e Filipe nos lançam pistas para o que possa vir a ser os desdobramentos do repente na cultura digital.

Qual projeto ou artista você indicaria como referência para o trabalho que você escolheu para comentar?

Sven König no trabalho do ScrambleHackz (2008) não lida diretamente com o reconhecimento de fala, mas trata de uma questão em torno do remix audiovisual partindo da voz como instrumento de controle e de um sistema de busca de arquivos a partir de uma análise da onda sonora; Uma performance audiovisual e instalação para voz e mídia interativa (2003) criada por Golan Levin e Zach Libermana com Jaap Blonk e Joan La Barbara; Conversation Piece (2008), de Alexa Wright e Alf Linney; Conexões com Oráculo Sonoro de Julian Jaramillo e Giuliano Obici -2005

Leia Também a entrevista com a crítica de arte Priscila Arantes.

Inscreva-se no Conexões Tecnológicas 2010 até 06 de agosto. Conheça os trabalhos inscritos e debata sobre a produção universitária em nosso ning. Siga o Festival também no facebook e no twitter.

II Festival Ibrasotope de Música Experimental começa hoje

terça-feira, julho 27th, 2010

Arte sonora, circuit-bending, drone, eletrônica ao vivo, esculturas sonoras, improvisação livre, instalação sonora, vídeo-partitura. Estas são algumas palavras ligadas ao II Festival Ibrasotope de Música Experimental, que começa hoje em São Paulo, no CCSP, CCJ e na sede do Ibrasotope. O evento reúne artistas e grupos que trabalham a música experimental de diferentes maneiras. Cristiano Rosa (Panetone) ministrará a oficina Circuit Bending: o que é, o que faz e como se faz, onde os participantes poderão criar os seus próprios instrumentos. Marco Scarassatti abordará questões relacionadas a concepção e construção de Esculturas, Emblemas e Instalações na oficina Plásticas Sonoras. Também estão programadas apresentações de músicos e grupos como Livio Tragtenberg, N-1,Valério Fiel da Costa e conversas com alguns artistas. A realização é do Ibrasotope e Rumor produções sonoras.

Mais informações: http://www.ibrasotope.com.br/festival

Inscreva-se no Conexões Tecnológicas 2010 até 06 de agosto. Conheça os trabalhos inscritos e debata sobre a produção universitária em nosso ning. Siga o Festival também no facebook e no twitter.

Melina Scialom e Mário Del Nunzio, Corpos Urbanos, 2009

quarta-feira, junho 16th, 2010

Melina Scialom e Mário Del Nunzio

UFBA | Pós Graduação em Artes Cênicas

Área de participação: Artes

Sinopse do trabalho:
Esta é uma instalação performática que parte de premissas antropológicas e se transforma em uma obra multimídia. Com essência transdisciplinar, reflete sobre a cultura urbana em constante mutação. Pesquisamos tipologias de movimento e sonoras utilizadas no entretenimento urbano. Desenvolvemos um catálogo da gestualidade e da diversidade musical presente em tais ocorrências que são digitalmente trabalhadas e transformadas em uma instalação multimídia de vídeo, música e interação corporal.

Para que fim foi realizado?
O trabalho foi realizado como resultado de pesquisa realizada entre os dois artistas-pesquisadores pós graduandos.

Canais pessoais:

http://www.flickr.com/corposurbanos/

http://www.youtube.com/corposurbanos

www.myspace.com/melinascialom

www.myspace.com/mariodelnunzio

Resumo do curriculum:
Melina Scialom, mestranda em Artes Cênicas (UFBA) e bacharel em Dança (UNICAMP), tem se dedicado à pesquisa acadêmica em Dança e sua relação entre novas tecnologias. Desenvolve performances solo e em colaboração com artistas de outras linguagens. Mário Del Nunzio é mestrando em Música (USP) e graduado em Composição (UNICAMP). Dedica-se a vertentes experimentais da produção musical. Compõe música instrumental e eletroacústica, e toca com grupos de improvisação / música não-escrita.

Segundo Encontro AVLAB: Idiossincrasia do Sonoro

sexta-feira, junho 4th, 2010

No domingo, dia 6 de junho, o Centro Cultural da Juventude de São Paulo vai sediar o 2o Encontro AVLAB: Idiossincrasia do Sonoro. O evento conta com três projetos de artistas que discutem a relação do sonoro com outras linguagens artísticas. Vanderlei Lucentini vai apresentar a obra inédita Secret Axis. Criada por onze compositores de diversas partes do planeta, o projeto conecta performance e terapia através da voz e do movimento. A performance é de Anabel Andres.

O artista multimídia Wilton Azevedo apresentará o projeto de poesia digital Pó e-Machine. A obra envolve também narrativa em prosa, poesia sonora e imagens interativas. No encontro, o artista mostrará em detalhes como criar um dispositivo de improvisação poético audiovisual através do computador.

As vídeo criaturas, que marcaram a vídeo arte dos anos 80, estarão presentes junto com o seu criador, Otávio Donasci. Além de disponibilizar um dos seres multimídia para interação com o público, ele vai mostrar as etapas do processo de criação do projeto.

O AVLAB é inspirado no formato do programa Medialab-Prado, organizado pela prefeitura de Madrid e dedicado à confluência entre as artes, tecnologias, ciências e sociedade.

Se você estiver no CCJ para assistir ao encontro, pode também participar das atividades da Mostra Conexões Sonoras de Arte Multimídia, organizada pelo IBRASOTOPE. A mostra começa hoje e vai até domingo.

Mais informações: http://escuta.estudiolivre.org/2010/05/13/avlab-sao-paulo-idiossincrasia-do-sonoro/

Festival Conexões Tecnológicas 2010 – mais detalhes, aqui.

Já fez a sua inscrição? A data limite é 18/06.

Veja os trabalhos que já estão inscritos nessa edição.

Clique aqui e debata sobre Artes e Design.

Iam Campigotto, S/título, 2010

terça-feira, maio 18th, 2010

Iam Campigotto

UDESC | Artes Visuais

Área de participação: Artes

Sinopse do trabalho:
Essa videoperformance consiste nos movimentos de um fragmento do meu corpo manifestando uma espécie de sinestesia provocada pela música, feita somente de sons orgânicos. É um diálogo de dança, interpretação e sensações entre a música e o corpo, baseada na filosofia da dança-teatro japonesa Butô.

Para que fim foi realizado?
Videoperformance

Canal pessoal:

http://www.youtube.com/watch?v=rvU-4At48qg

Resumo do curriculum:
1997-performance com Daniel Seda no Centro de Cultura e Artes de Campinas. 2002- performance CicloTAOro do NeoTao  no Teatro Centro da Terra em São Paulo, curadoria de Renato Cohen. 2008-coletiva com o Grupo Norman Bates na UDESC; Exposição Ação Postal Cara de Pau. 2009-Menções Honrosas do concurso Proex da UDESC com as fotos s/ cabeça e fios e 2° lugar e Menção Honrosa em 2010 pelas fotos “Eu olhando pelo binóculo do mirante” e “Sonho II”; Exposição OCO no Espaço Contemporão.

Fórceps, Conector, 2010

segunda-feira, abril 19th, 2010

Fórceps

UNI BH | Design Gráfico

Área de participação: Artes

Sinopse do trabalho:
Produções sonoras de caráter informativo com formato indefinido, transitório, mutante. A unidade é temática, as diferenças no formato não significam perda de identidade. Além de informar, o que justifica a produção do conteúdo é justamente a experimentação de formatos, de linguagem, de processos de produção e distribuição. O foco é a cena musical independente brasileira e o objetivo é dar mais espaço principalmente à música sul-americana, buscando maior integração no continente.

Para que fim foi realizado?
Projeto pessoal desenvolvido dentro do coletivo Fórceps, um grupo de pessoas reunidas para produzir ações culturais alternativas.

Canais pessoais:

www.meiodesligado.com

www.forceps.com.br

http://dispepsia.wordpress.com

http://myspace.com/meiodesligado

http://flickr.com/photos/mazzacane

Resumo do curriculum:
Marcelo Santiago: jornalista, estudante de design e pós-graduando em Produção em Mídias Digitais.
Mariana Lima: jornalista, musicista e atriz.

OSRO, Multipoiesis Aestouch, 2009

segunda-feira, abril 19th, 2010

OSRO

BA | Bacharelado em Artes Visuais

Área de participação: Artes

Sinopse do trabalho:
Mesa multitouch, aplicativos interativos musicais. feito com softwares opensource.

Para que fim foi realizado?
Pesquisa pessoal em HCI (human-computer interaction) para as artes, apresentado para a disciplina de Multimeios.

Canais pessoais:

http://vimeo.com/2307722

http://www.facebook.com/profile.php?id=1196528649

http://otaviosavietto.deviantart.com/

http://vimeo.com/user958966

Resumo do curriculum:
Artista de Novas Mídias, designer de interfaces e computação física com um background nas artes, estudou computer animation no Canadá.
Atualmente pesquisa artes interativas, arte generativa, estética relacional e processos colaborativos.

Lais Kantor Caserta, Sodomu, 2009

segunda-feira, abril 12th, 2010

Lais Kantor Caserta
UAM | Design Digital

Área de participação: Design

Sinopse do trabalho:
Projeto experimental de “música”, a proposta é que qualquer pessoa que mesmo sem saber tocar nada possa crias “músicas a partir de loops de vídeo de qualquer tipo de som, sem ser necessariamente um instrumento.

Para que fim foi realizado?
Projeto realizado em uma matéria durante intercâmbio em Madrid.

Canal pessoal:
www.laiskantor.com

Resumo do curriculum:
Lais Kantor é estudante de desenho digital na Universidade Anhembi Morumbi, fazendo intercâmbio em Madrid.
Participou de projetos em arte e design: cromática – I Bienal de Arte Jovem, Feira ARCO, I Prêmio Internacional à Inovação Audiovisual em internet (rtve), mip2, etc.
Desde 2007 trabalha com publicidade, atualmente está na jwt.