Design em mídias digitais

dia 09 de novembro, às 17:30 horas

Daniela Kutschat tratará das tendências nas interfaces digitais: o que está sendo feito e o que se está pensando para o futuro.

Estamos vivendo em tempos interessantes, nos quais idéias e modos de organização das relações sociais, de padrões de pensamentos e comportamentos são articulados em sistemas e tecnologias de informação e comunicação nunca vistos antes. Hoje, o “silício é o novo aço, e a internet é a nova ferrovia”, como já o anunciava Mitchell em 1994, a cidade e o ambiente urbano encontram-se em constante mutação, assim como as interfaces, assunto a ser abordado por Daniela Kutschat nessa mesa.

Daniela Kutschat HannsArtista Plástica, Doutora em Artes pela Universidade de São Paulo (2002) atualmente é professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo e do Centro Universitário Senac. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Artes Interativas, Design de Informação e Sistemas Digitais. Desenvolve pesquisa e proposições sensoriais e cognitivas a partir do duplo Corpo_Espaço e investiga a aplicação de Tecnologias de Informação e de Comunicação ao Corpo, Objeto, Ambiente e Cidade. Participa de exposições, congressos e de juris nacionais e internacionais relacionados à Arte, Design, Mídias e Cultura Digital.

Giselle Beiguelman tratará do tema: “Design de Interface Orientado à Reprogramação dos Usos”:

A descentralização da organização do conhecimento parece ser irreversível no âmbito da web 2.0. Contudo, não deixa de chamar atenção o quanto o seu modelo arquitetônico – baseado em tags – atomiza a informação, redundando não só em impossibilidade de visão do contexto, mas também em buscas menos arriscadas, haja vista que a tendência é operar a partir dos filtros de uma rede pessoal previamente conhecida.
Nessa perspectiva, torna-se fundamental, para o exercício da inteligência distribuída que as redes sociais potencialmente agenciam, a atenção e a discussão de interfaces críticas, capazes de propor usos inusitados e criativos das plataformas.
Nesta palestra serão discutidos eventos como a “Rebelião Digg” e o protesto “thinkflickthink”, movimento anti-censura ocorrido no Flickr, bem como projeto alternativos de usos das redes sociais, como “10 x 10” (2005), de Jonathan Harris, entre outros, a fim de propor uma reflexão acerca do design de interface orientado à reprogramação dos usos.

Giselle Beiguelman é midiartista e professora da pós-graduação em Comunicação e Semiótica da PUC-SP. Editora da seção novo mundo da revista eletrônica Trópico, foi curadora do Nokia Trends (2007 e 2008) e é Diretora Artística do Instituto Sergio Motta. Entre suas publicações recentes destacam-se: Link-se (Peirópolis, 2005) e a co-autoria de Nomadismos Tecnológicos (com Jorge La Ferla, Barcelona, Ariel, no prelo). Seu trabalho aparece em antologias e obras de referência sobre arte digital como o Yale University Library Research Guide for Mass Media e Digital Arts (C. Paul, Thames & Hudson, 2008), entre outras. Seus projetos foram apresentados em exposições como 25a Bienal de São Paulo, Arte/Cidade, Net_Condition (ZKM), el final del eclipse (Fundación Telefonica, Madrid), Algorithmic Revolution (ZKM), arte.mov (Galeria da VIVO, São Paulo) e Netescópio (MEIAC, Espanha).

Heloísa Dallari fará a mediação da mesa. Heloísa Dallari é doutora em arquitetura pela FAU-USP. É professora de História da Arte nos cursos de graduação em Artes Plásticas, Arquitetura e Produção Cultural da FAAP e de História das Artes Visuais no curso de pós-graduação em História da Arte da FAAP. Também leciona História do Design na Escola Panamericana de Arte e Design e Teoria da Informação e História do Design Contemporâneo nos cursos de Design de Jóias e Design de Produto e de Interiores do Istituto Europeo di Design e professora no Curso de pós-graduação em Design Gráfico do Senac. Atua também como arquiteta e palestrante pela Escola São Paulo.